Texto Maior
Texto Maior
Texto Maior
Texto Menor
Texto Menor
Texto Normal
Texto Normal
Contraste
Contraste
Libras
Libras
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Acesso à informação
Acesso à informação

Ijuí, segunda-feira, 20 de setembro de 2021 Telefone (55) 3331-0100

Atendimento Atendimento: Segunda-feira: 12h às 18h. De terça a sexta-feira: 07h às 13h.  Segundas-feiras sessão plenária ordinária a partir das 18 horas.

Domi
19/09
27 °C
17 °C
Índice UV
9.0
Segu
20/09
34 °C
21 °C
Índice UV
9.0
Ter
21/09
21 °C
17 °C
Índice UV
9.0
Quar
22/09
22 °C
13 °C
Índice UV
9.0

Turismo

Turismo


Folclore



As tradições e os costumes dos índios, europeus, asiáticos e africanos, resumiu-se num destacado centro de folclore. A diversificação étnica com a formação do caboclo local (o mestiço de português com os índios) está culturalmente integrada às tradições e costumes da região, onde demonstram com o orgulho o espírito de brasilidade. Em 1943, foi fundado em Ijuí a primeira Entidade Tradocionalista,que deois da fundação do 35CTG, passou a Centro de Tradições Gaúchas. A cozinha regional, os trajes, as danças, e as diferentes culturas espelham as diversas bases étnicas do Rio Grande do Sul, os principais CTG's da cidade que participam de rodeios e concursos por todo o Estado, CTG Clube Farroupilha, G.F Fogo de Chão, G.F Chaleira Preta, CTG Laureano de Medeiros, CNN Piazito Carreteiro, CTG Avô Maragato e GF Chão Batido. A cidade também é conhecida dentro do meio tradicionalista gaúcho em diversas modalidades individuais por possuir os primeiros vencedores da modalidade Dança de Salão no ENART (maior festival amador da América Latina) Leonardo Veiga e Andréia Hampp, e também conta com participantes da modalidade de chula, como Jean Diniz, Bi campeão do ENART (2007 e 2008) e campeão do Rodeio Internacional da Vacaria, e Luciano Scheer, vice-campeão do ENART (2010), além de contar com bons chuleadores na modalidade Juvenil e Mirim. As fachadas de diversos prédios de igrejas e de algumas residências mantém as tradições dos antepassados, resistindo aos avanços de nossos dias. Carnaval, futebol, “Canto Farroupilha” (música típica riograndense), Semana do Imigrante Alemão, “Semana Farroupilha”, ExpoIjuí, Natal das Etnias, Feira do Livro, são algumas das manifestações culturais do município.


Artesanato

O artesanato em Ijuí tem duas dimensões: o trabalho e a cultura. As criações na área de cerâmica, pintura, bordados, crochê, porcelana, couros, madeira, chifre, milho, palha de trigo, vidro e papel, demonstram toda a criatividade do povo ijuiense. Os artesãos estão organizados em associação e participam de diversas feiras e exposições a nível regional e estadual, além de possuírem na cidade dois locais onde o artesanato é comercializado.


Gastronomia

A alimentação em Ijuí constitui-se basicamente em pratos típicos riograndenses: churrasco, “carreteiro”, feijão, arroz, carne, legumes e frutas. A agricultura regional é diversificada, destacando-se a batata, a mandioca, legumes, frutas e verduras, grandemente consumidas pela população. A mistura étnica, representada por alemães, austríacos, poloneses, italianos, afro-brasileiros, portugueses, árabes, holandeses e suecos e outros, tem influenciado os cardápios, diversificando e qualificando a alimentação da população da cidade de Ijuí.


Grupos étnicos

Em virtude da diversidade étnica que originou a população ijuiense, havia a vontade de expressar toda essa miscigenação cultural. Foi assim que em 1985 criou-se o Movimento Étnico e, em 1987, foi realizada a 1ª Festa Nacional das Culturas Diversificadas Fenadi. Esse evento é responsável pelo resgate dos costumes, da gastronomia, da música, da dança e de toda memória cultural de onze etnias que estão organizadas em casas típicas no Parque Wanderley Burmann.

Alemães, austríacos, afro-brasileiros, árabes, espanhóis, holandeses, italianos, letões, portugueses, poloneses e suecos revelam um legado cultural que proporciona, anualmente, uma viagem de conhecimento ao visitante.


Usina Velha

A Usina Velha em Ijuí é a mais antiga em funcionamento no Estado do Rio Grande do Sul, foi inaugurada em 1923, foi inicialmente projetada para atender as necessidades do município durante dez anos, no entanto a demanda por energia aumentou tanto que apenas cinco anos depois já era necessária a instalação de um segundo grupo gerador.

Este segundo grupo foi instalado em 1932 e são estes dois grupo que se encontram atualmente em funcionamento, apesar da Usina contar ainda com um grupo termoelétrico e um gerador a diesel ambos instalados na década de 1940. A usina conta com capacidade para produzir 500;Kw de potência, mas consegue produzir 300 MWh/mês, o que equivale apenas ao consumo da iluminação pública. Suas instalações oferecem também um belo passeio oferecendo uma boa infraestrutura para receber os visitantes: quiosque, locomóvel, área de descanso, banheiros, estacionamento, e um mirante para apreciar a vista da queda de água com aproximadamente 11,20 m.


A Usina do Passo de Ajuricaba

A Usina do Passo de Ajuricaba foi inaugurada em 1959, em função da crescente necessidade na produção de energia elétrica que ocorria devido à industrialização da região.

Localiza-se na Vila Floresta, com acesso pela BR-285, km 330 e pela RS 155, km 5.


Museu Antropológico Diretor Pestana

O museu antropológico Diretor Pestana constitui um centro de preservação da memória regional. Situa-se na Rua Germano Gressler, 96, no Bairro São Geraldo.

Possui aproximadamente 25 mil peças relacionadas ao índio pré-missioneiro e encontradas na região. A seção antropológica possui 3900 peças que contam as histórias do povo ijuiense, índios e de toda região. Beleza e encantamento revelam-se no resgate de história passadas.




Informações Coronavírus

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ACOMPANHE-NOS

Câmara Municipal de Ijuí - RS.
Usamos cookies para melhorar a sua navegação. Ao continuar você concorda com nossa Política de Cookies e Políticas de Privacidade.